terça-feira, 6 de dezembro de 2011

IX Festival da Canção Jovem de Mensagem


O Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil da Diocese de Lamego organiza, no próximo dia 10 de Dezembro, o IX Festival Diocesano Jovem da Canção de Mensagem, que terá lugar no Teatro Ribeiro Conceição, em Lamego.

Este Festival destina-se à apresentação de músicas originais com uma mensagem cristã e dirige-se aos Grupos de Jovens da Diocese de Lamego com talentos, por vezes, desconhecidos e que acabam por despontar nesta ocasião.

Entre os objectivos do Festival estão: incentivar a criação poético-musical, partindo dos valores cidadania e humano-cristãos, promover a canção religiosa como valor na evangelização e no quotidiano dos jovens e possibilitar o encontro e o convívio são e construtivo entre os jovens da Diocese de Lamego.

O Festival tem início previsto para as 21h00 e contará com um Júri de cinco pessoas que avaliarão as várias músicas.

O vencedor representará a Diocese de Lamego no Festival Fátima Jovem, a realizar no próximo ano.

sábado, 3 de dezembro de 2011

D. António Couto fala sobre a Diocese de Lamego

O novo bispo de Lamego, D. António Couto, estabeleceu como prioridades o anúncio da mensagem cristã e a auscultação da população, antes de definir os projetos para uma diocese com cada vez menos pessoas. 

 “A grande missão de um bispo, do seu presbitério e de todo o povo de Deus que lhe está confiado, seja em que região, língua ou cultura for, terá de ser sempre levar Jesus Cristo ao coração das pessoas. E é isso que eu pretendo”, vincou o responsável em entrevista ao programa ECCLESIA na RTP-2. 

 O prelado que a 29 de janeiro toma posse da diocese lamecense, no norte de Portugal, sublinha que a “grande maioria” dos europeus foi batizada mas em termos “de coração cristão” o Velho Continente tem “pouca gente”. “Que não se seja só cristão porque um dia se foi batizado e está registado nos livros, mas que se seja cristão com a vida. É este o cristianismo que nos interessa”, frisou o também presidente da Comissão Episcopal da Missão e Nova Evangelização. 

 O bispo que já foi superior dos Missionários da Boa Nova vai encontrar um território que está a perder a identidade cristã, especialmente no domínio da família, segundo o padre José Melo, coordenador de um estudo sócio religioso realizado pela diocese. As conclusões da investigação apontam para um “processo de grande desertificação e, associado a ele, a descristianização”, pelo que as “as referências cristãs estão a diluir-se com um grau acentuado”, relatou à ECCLESIA. O sacerdote explicou que os efeitos do desaparecimento gradual do catolicismo têm “incidência especial na família”, que além de “desestruturada” adquire “novas configurações um tanto alheias à índole cristã”. 

 D. António Couto considerou que a desertificação da diocese é uma “realidade a que não se pode fugir” e salientou que a sua “primeira linha de rumo” em qualquer lado é “ir ter com as pessoas” e “ver quais são os seus problemas”. Só depois avançará com projetos para “avivar o cristianismo”, em conjunto com os fiéis, dado que não gosta de “trabalhar sozinho”.

sábado, 19 de novembro de 2011

D. António Couto, novo Bispo de Lamego

Com data de hoje, o Santo Padre nomeou o Sr. D. António José da Rocha Couto como novo Bispo de Lamego, sucedendo, desta maneira, ao Sr. D. Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho que, há cerca de um ano, tinha pedido a renúncia ao cargo, por ter atingido os 75 anos de idade.

O Sr. D. António Couto nasceu a 18 de Abril de 1952, em Vila Boa do Bispo, concelho de Marco de Canaveses.

A 2 de Outubro de 1963 entrou no Seminário de Tomar, da Sociedade Portuguesa das Missões Ultramarinas, hoje Sociedade Missionária da Boa Nova. Recebeu a ordenação sacerdotal em Cucujães, em 3 de Dezembro de 1980.

Os primeiros anos de sacerdócio foram vividos no Seminário de Tomar, acompanhando os alunos do 11.º e 12.º anos. No ano lectivo de 1981-1982 foi Professor de Religião e Moral Católica na Escola de Santa Maria do Olival, em Tomar. Em 1982 fez o curso de Capelães Militares, na Academia Militar, e foi nomeado capelão militar do Batalhão de Serviço de Material, do Entroncamento, e, pouco depois, também da Escola Prática de Engenharia, de Tancos.

Transferiu-se depois para Roma, para a Pontifícia Universidade Urbaniana, onde, em 1986, obteve a licenciatura canónica em Teologia Bíblica. Na mesma Universidade obteve, em 1989, o respectivo Doutoramento, depois da permanência de cerca de um ano em Jerusalém, no Studium Biblicum Franciscanum.

No ano lectivo de 1989-1990 foi professor de Sagrada Escritura no Seminário Maior de Luanda. Regressou então a Portugal, e foi colocado no Seminário da Boa Nova, de Valadares, com o encargo da formação dos estudantes de teologia. É professor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, núcleo do Porto, desde o ano lectivo de 1990-1991.
De 1996 a 2002 foi Reitor do Seminário do Seminário da Boa Nova, de Valadares. Foi também Vigário Geral da Sociedade Missionária da Boa Nova de 1999 a 2002, ano em que foi eleito Superior Geral da mesma Sociedade Missionária da Boa Nova, cargo que ocupou até à data da sua Ordenação Episcopal, em 23 de Setembro de 2007.

A SMBN é composta por sacerdotes diocesanos e leigos que se consagram à evangelização. Surgida em Portugal em 1930, dedica-se à evangelização ad gentes em Moçambique (desde 1937), Angola (desde 1970), Brasil (desde 1970), Zâmbia (desde 1980) e Japão (desde 1998).
Em 2004, João Paulo II nomeou o novo Bispo de Lamego como membro da Congregação para a Evangelização dos Povos.

D. António Couto é colaborador do Programa ECCLESIA (RTP2), da Igreja Católica, tendo colaborado regularmente desde 2003, na sua qualidade de biblista.

É autor dos seguintes livros: Até um dia (poemas) 1987; Raízes histórico-culturais da Vila Boa do Bispo (1988); A Aliança do Sinai como núcleo lógico-teológico central do Antigo Testamento (tese de doutoramento), 1990; Como uma dádiva. Caminhos de antropologia bíblica, 2002 (2.ª edição revista em 2005); Pentateuco. Caminho da vida agraciada, 2003 (2.ª edição revista, 2005). E também autor de inúmeros artigos em enciclopédias, colectâneas e revistas.

Na última Reunião Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa, foi eleito Presidente da Comissão Episcopal da Missão e Nova Evangelização.

Ao Sr. D. Jacinto Botelho, toda a Diocese está grata pelo seu incansável ministério ao longo de todos os anos em que esteve à frente dos destinos desta porção do Povo de Deus.

Damos também as boas vindas ao Sr. D. António Couto, na certeza que, desde já, rezamos pela sua pessoa e intenções.

Mensagem de D. Jacinto Botelho, Administrador Apostólico de Lamego

Sua Santidade Bento XVI nomeou o Senhor D. António José da Rocha Couto para meu sucessor. Saúdo-o com a maior amizade e consideração e auguro-lhe um episcopado carregado de Bênçãos e êxitos pastorais.
Tenho servido esta Igreja de Lamego que desposei, quase ao longo de 12 anos, como bispo diocesano e continuarei a servi-la, como administrador apostólico, até à tomada de posse do meu sucessor.

Antes de mais agradeço ao Senhor a magnanimidade da Graça recebida, a confiança que o Beato João Paulo II e o actual Pontífice, Sua Santidade, Bento XVI, em mim depositaram; a vivência de fraternidade com os irmãos no episcopado; igualmente tenho de ser grato ao Senhor pela comunhão e docilidade do Presbitério, pelo testemunho sempre estimulante das religiosas e religiosos e dos membros dos Institutos de vida apostólica; e pela amizade, carinho, e dedicação dos nossos leigos.

Penaliza-me a debilidade e imperfeição da minha resposta e do meu serviço que, confiando na misericórdia de Deus, Ele me perdoará, e vós também sabeis desculpar, como tão generosamente tendes manifestado.
Mas devo agradecer ainda ao Senhor a riqueza de que esta Diocese de Lamego vai beneficiar com a nomeação do Senhor D. António Couto. Natural de Vila Boa do Bispo, Marco de Canaveses, Porto, é membro da Sociedade Missionária da Boa Nova e até agora Bispo Auxiliar de Braga, que vários dos nossos sacerdotes conhecem, porque orientou um dos últimos retiros anuais do nosso clero. Trata-se de um Bispo de reconhecida cultura e competência teológica, nomeadamente no campo da Sagrada Escritura, que até ao momento tem sido professor na Faculdade de Teologia do Porto da Universidade Católica. Foi eleito na última Assembleia da Conferência Episcopal para presidir à Comissão agora reestruturada com o pelouro da Missão e Nova Evangelização. Cabe-lhe por isso a responsabilidade de coordenar toda a movimentação em que a Igreja de Portugal se encontra empenhada na linha da Nova Evangelização, o que é uma mais-valia para a nossa Diocese.

Agradeço as orações que permanentemente por mim tendes feito chegar ao Céu, durante o meu ministério episcopal, prática a que continuareis a ser fiéis também pelo nosso novo Bispo que, se Deus quiser, em 29 de Janeiro tomará posse da Diocese, e receberemos com júbilo, numa manifestação viva de fé e de comunhão.

+Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho, Administrador Apostólico de Lamego

Mensagem do D. António Couto, novo Bispo de Lamego

Com alegria e confiança de criança, levanto os meus olhos para os montes, para Aquele que guarda a minha vida, de noite e de dia, quando saio e quando entro, desde agora e para sempre! É com esta luminosa melodia do Salmo 121, que canto, neste dia, ao bom Deus, que sei bem que «tem sido o meu pastor desde que existo até hoje» (Génesis 48,15).

D’Ele quero ser transparência pura, sempre, como Ele, pastor que visita, com um olhar repleto de bondade, beleza e maravilha, os seus filhos e filhas que Ele agora me confia. Enche sempre, Senhor, o meu olhar, mãos e coração com a tua presença bela e boa. Que, em mim, sejas sempre Tu a visitar o teu povo. É esta divina maneira de ver bem, belo e bom (episképtomai), que diz o bispo (epískopos) e a visita ou visitação pastoral (episkopê) (Lucas 1,78; 7,16; 19,44).

É nesta toada de comovida oração que saúdo e abraço a bela, antiga e ilustre Diocese de Lamego, todos os filhos e filhas de Deus que nela levantam as mãos e o coração para Deus, desde os mais pequeninos até aos mais idosos, todos e todas as comunidades e paróquias, com os/as seus/suas catequistas, cantores, acólitos, leitores, zeladoras, confrarias, movimentos, ministros da comunhão, animadores da caridade, seminaristas, institutos religiosos e seculares, diáconos, presbíteros, serviços e secretariados, colégio de consultores e cabido da Sé Catedral, e o meu querido amigo e irmão no episcopado, D. Jacinto Tomás de Carvalho Botelho, a quem saúdo com particular afecto.
Estarei amanhã [domingo], Dia da Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, em comunhão com todos vós na celebração do Dia da Igreja Diocesana, e sentirei convosco «A Família e a Igreja nos caminhos da Nova Evangelização». Que o Senhor a quem servimos e que nos mandou servir os nossos irmãos mais pequeninos encha das suas graças o jovem Ricardo Jorge Ribeiro Barroco, que amanhã receberá a Ordenação Diaconal. Para todos invoco a bênção de Cristo Rei, e a protecção de S. Sebastião, Padroeiro da nossa Diocese de Lamego, e de Maria, Mãe de Deus e nossa mãe, que particularmente invocamos como Nossa Senhora dos Remédios.

Quero, nesta hora de graça, manifestar também o meu afecto e gratidão à Igreja Bracarense, que Deus me deu a graça de servir nos últimos quatro anos. O meu abraço grato e fraterno ao Senhor Arcebispo Primaz, D. Jorge Ferreira da Costa Ortiga, e ao Senhor Manuel da Silva Rodrigues Linda., que tem sido comigo Bispo Auxiliar. As minhas mais afectuosas saudações a todos aqueles que, nestes quatro anos, Deus colocou no meu caminho: presbíteros, diáconos, seminaristas, fiéis leigos empenhados no «trabalho do amor» (1 Tessalonicenses 1,3) e o bom povo de Deus, a quem tanto fico a dever.

À Igreja de Lamego que servirei agora, à Igreja de Braga que servi nestes quatro anos, à Sociedade Missionária da Boa Nova que me acolheu desde criança e em cujo seio aprendi a dilatar o coração, e a todas as Igrejas por onde tive a graça de passar e de servir, a todos peço que «luteis comigo na oração» (Romanos 15,30) para que eu possa ser sempre fiel à causa do Evangelho.

Esta hora de graça serve ainda para atestar a minha fidelidade, comunhão e gratidão ao nosso Papa Bento XVI, e também a minha lealdade e comunhão ao Senhor Núncio Apostólico em Portugal, D. Rino Passigato, e a todo o Colégio Episcopal.


Braga, 19 de novembro de 2011, Memória de Santa Maria no Sábado
D. António José da Rocha Couto

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Secretariado das Vocações em Anreade


O Secretariado Diocesano das Vocações, agora com uma equipa reestruturada, deu continuidade ao seu plano pastoral com a atividade Hora de Oração Arciprestal na paróquia de Anredade, no dia 30 de Outubro. Ao longo destes últimos dois anos temos percorrido as paróquias da nossa Diocese distribuindo os arciprestados por cada mês. Em outubro foi no arciprestado de Resende, em novembro será no arciprestado de Lamego na paróquia de Sande e em dezembro no arciprestado de Castro Daire na paróquia de Cujó. O Objetivo destes encontros pautam-se pelo proporcionar momentos de oração vocacional com toda a comunidade, interpelar e motivar a uma responsabilidade comunitária pela necessidade de propor as diversas vocações e contribuir com uma catequese vocacional.

Neste dia, o secretariado partiu alegre e confiante serpenteando as encostas do Douro, à procura de Anreade e ao encontro de noventa crianças e adolescentes que, juntamente com as suas catequistas, aguardavam curiosa e serenamente a nossa chegada no salão paroquial. 

Distribuídos por três grupos refletimos sobre a vocação, o convite que a todos nos é dirigido e da nossa missão como batizados inspirando-nos no chamamento de Samuel e no dos primeiros discípulos. Todos somos chamados: uns são chamados a servir Jesus no sacerdócio, outros na vida religiosa consagrada e outros no matrimónio e nele a constituir e gerar uma família. Aos cristãos compete estar atento aos diversos sinais para que possam responder com um “Sim”, tal como fizeram o profeta Samuel e os Discípulos de Jesus. 

Os rostos felizes e vigilantes espelhavam vontade de sondar os mistérios do chamamento ao escutarem os diversos testemunhos vocacionais dados pelos respetivos elementos do secretariado. É sempre agradável quando ouvimos o testemunho de alguém que respondeu ao convite de Jesus “Vem e segue-Me”.

Às 11h celebramos Eucaristia Dominical, presidida pelo Sr. P. José Fernando e com a presença do pároco P. Dr. Joaquim Duarte. Na homilia, o assistente do secretariado, recordou os temas tratados na catequese e falou da necessidade de que nas famílias, comunidades paroquiais e escolas se fale e reflita na Vocação e em todas as vocações, tema tantas vezes ocultado e esquecido.

Após a Eucaristia serviu-se o almoço acompanhado pela agradável partilha das histórias e peripécias do Sr. P. Dr. Joaquim Duarte aquando do seu tempo de seminarista em Resende e Lamego. Com o Seminário de Resende na nossa cabeça, e estando nós na vila onde está situado, quisemos visitá-lo e dá-lo a conhecer aos elementos do Secretariado que não o conheciam. Valeu-nos a preciosa ajuda da equipa formadora que nos conduziu pelos espaços comunitários do Seminário.

Regressámos animados, com mais vontade de nos aventurarmos na dinamização de outras atividades e reconfortados pelo acolhimento, simpatia e generosidade do pároco e da comunidade cristã de Anreade.

O Secretariado Diocesano, no seu jeito simples, continuará, ao longo do ano, a visitar cada paróquia interpelando e convidando à oração e desafiando, à generosidade da entrega, todos os cristãos.

Vítor Carreira, Iº de Teologia

Vigília de Oração pelas Vocações

Vigilia pelas Vocações

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Jornadas Nacionais das Comunicações Sociais

Nos dias 29 e 30 de Setembro, realizaram-se, em Fátima, as Jornadas Nacionais das Comunicações Sociais, organizadas pela Comissão Episcopal para as Comunicações Sociais.

As Jornadas, dirigidas a todos aqueles que se dedicam ao vasto mundo da comunicação social (jornalistas, membros de Gabinetes de Imprensa das Dioceses, publicações católicas, rádios, televisões, criadores e operadores de conteúdos multimédia e de internet).

Subordinadas ao tema "Era digital: revolução na cultura e na sociedade", as Jornadas contaram com a presença do Sr. D. Claudio Maria Celli, Presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, e de um outro membro daquele Dicastério, Pe. Justo Ariel (responsável pelo site www.intermirifica.net).

Ao longo dos dois dias, foram abordadas várias temáticas relacionadas com os desafios que enfrenta a Igreja nesta era de comunicação. Intervieram várias personalidades, como o Deputado José Ribeiro e Castro, os jornalistas José Manuel Fernandes (antigo Director do jornal Público) e Luís Sobral (TVI), Abílio Martins (administrador do Portal Sapo), entre outros.

Todas as informações sobre as Jornadas podem ser encontradas no dossier especial que a Agência Ecclesia elaborou.

sábado, 24 de setembro de 2011

Santa Casa da Misericórdia de Castro Daire celebra 150 anos

A Santa Casa da Misericórdia de Castro Daire comemorou o seu 150º. Aniversário com uma sessão solene que decorreu no passado dia 24 de Setembro, e com a bênção da primeira pedra da nova unidade destinada a pessoas portadoras de deficiência.

Na sessão solene marcaram presença, entre outras pessoas, o Sr. D. Jacinto Botelho, Bispo da Diocese de Lamego; o Sr. Fernando Carneiro, Presidente da Câmara Municipal de Castro Daire; o Dr. João Cruz, Director Adjunto do Centro Distrital da Segurança Social de Viseu; a Dra. Maria Infância Pamplona, Membro do Secretariado da União das Misericórdias Portuguesas e Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Santar; o Dr. Aurélio Loureiro, Presidente da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia de Castro Daire; e a Prof. Conceição Barros, Provedora da Instituição.

A sessão solene iniciou com um concerto, breve, mas tocante, proporcionado pela soprano Luísa Barriga, acompanhada ao piano por Ana Teixeira. Em seguida, as autoridades acima referidas pronunciaram, cada uma, um breve discurso. Na sua intervenção, o Sr. D. Jacinto, para além de felicitar a instituição, lembrou aos presentes que é necessário não esquecer o bem da pessoa na sua globalidade, não só nos seus aspectos físicos, mas também espirituais. A caridade, frisou o Sr. Bispo, é a expressão desse amor a Deus que é o verdadeiro fundamento do amor ao próximo, que busca o seu bem total. Torna-se, por isso, cada vez mais necessário, “ver com o coração”, expressão do Beato João Paulo II, citada pelo Prelado de Lamego. O Sr. D. Jacinto terminou desejando que a instituição, perante a crise que o país atravessa, possa contar com a união de todas as pessoas e instituições para ajudar os mais necessitados a terem condições dignas para viverem.

A Câmara Municipal de Castro Daire entregou uma lembrança do Município à Santa Casa da Misericórdia, manifestando o apreço e a gratidão de todos os munícipes pelo incomparável trabalho e dedicação que a instituição exerce no concelho.

A sessão solene terminou com o reconhecimento que a actual Direcção da Santa Casa da Misericórdia decidiu conceder a antigos Provedores e outros membros de anteriores direcções da instituição.

A celebração do 150º. Aniversário culminou com a bênção da primeira pedra do novo edifício, denominado Lar “S. João de Deus”, que acolherá pessoas portadoras de deficiência, e que servirá, não só o concelho de Castro Daire, mas também a zona norte do Distrito de Viseu.

Actualmente, a Santa Casa da Misericórdia de Castro Daire mantém um conjunto de serviços e valências de cariz social e assistencial: creche, dois Lares de Idosos, apoio ao domicílio, Unidade de Cuidados continuados e Centro de Ocupação de Tempos Livres. Desde 2008, possui, também, um protocolo com a Segurança Social para apoiar e acolher pessoas portadoras de deficiência. É ao abrigo deste protocolo que agora inicia a construção deste novo equipamento social.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Tomada de posse do P. Manuel João


O dia 18 de Setembro vai ficar na memória das comunidades de Vale de Figueira a Velha, Valongo dos Azeites e Vilarouco, pois hoje acolheram um novo Pároco: o P. Manuel João Nogueira Amaral.

Na parte da manhã, seja Vale de Figueira, seja Valongo dos Azeites acolheram com muita alegria o recém ordenado sacerdote, apresentado pelo Mons. Joaquim Dias Rebelo, Vigário Geral da Diocese.

Na parte da tarde, foi a vez de Vilarouco receber o novo Pároco. Na sua homilia, o Mons. Joaquim Dias Rebelo recordou o P. Samuel Teixeira da Silva, a quem Deus chamou para Si, no passado mês de Janeiro, de modo repentino e inesperado. Incentivou também a que todos recebessem com alegria o novo Pároco, procurando colaborar com ele nas actividades paroquiais.

Mereceu uma especial palavra de reconhecimento o Mons. Henrique Paulo, bem como os outros sacerdotes do Arciprestado de S. João da Pesqueira que, nos últimos meses, com generosidade e abnegação, asseguraram a assistência religiosa naquelas Paróquias.

Na tomada de posse, marcaram presença os Arciprestes de S. João da Pesqueira, Mêda e Penedono, para além de outros sacerdotes vizinhos e amigos do P. Manuel João. Também os seus pais e irmão estavam presentes.

Ao terminar a Eucaristia, o P. Manuel João agradeceu a todos as boas vindas com que o receberam e pediu que todos estivessem disponíveis para colaborar na propagaçãoo do Evangelho.

Já depois da Eucaristia, a Associação Cultural, Deportiva e Recreativa Flor d’Amendoeira quiseram brindar o novo Pároco e todos os presentes com algumas danças típicas daquela zona, bem como com uma mensagem de Boas vindas.

domingo, 18 de setembro de 2011

Seminário Maior de Lamego: 50 anos a formar sacerdotes

O actual edifício do Seminário Maior de Lamego celebrou, no passado dia 17 de Setembro, o cinquentenário da sua construção.

Foi no ano de 1956 que o então Bispo da Diocese, D. João da Silva Campos Neves, dirigiu uma Carta Pastoral a todas as comunidades diocesanas informando-as da construção do novo Seminário. Cinco anos depois, tinha lugar a sua inauguração. A primeira actividade que ali decorreu, foi o retiro anual do clero Diocesano.

O mesmo voltou a acontecer cinquenta anos depois: de 11 a 14 de Setembro ali se realizou o retiro anual do clero da Diocese. A celebração dos cinquenta anos continuou no dia 17 de Setembro, com um conjunto de eventos que reuniu Bispos, sacerdotes, religiosas e muitos outros fiéis. Foram, também, muitas as autoridades civis e militares a marcar presença.

O dia começou com as palavras de boas vindas do actual Reitor da instituição, P. Doutor Paulo Alves. Seguiu-se um conjunto de testemunhos sobre aspectos dos cinquenta anos do Seminário: o primeiro, a cargo do Sr. D. Jacinto Botelho, Bispo da Diocese; o segundo, a cargo do P. José Augusto Marques, actual Pároco de Resende; o terceiro e último, foi um testemunho dado pelo Dr. Adão Sequeira, um dos membros fundadores da Associação de Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Lamego (ASEL). No final da sua intervenção, foi entregue aos presentes um livro que, para além do texto dos testemunhos dados, também contém uma nota histórica sobre o Seminário, a lista de todos os alunos e equipas formadoras do Seminário ao longo dos 50 anos da sua existência e outros dados de interesse sobre o edifício e sobre a instituição.

Ao final da manhã, foi apresentada uma possível proposta de reutilização do actual edifício do Seminário. A proposta foi apresentada em formato de vídeo, e continha um conjunto de possibilidades para uma utilização mais eficaz do espaço de grandes dimensões que constitui aquela infra-estrutura.

Ainda antes de almoço, a actual Direcção do Seminário homenageou os membros de anteriores equipas formadoras do Seminário que, naquele momento, estavam presentes, destacando a presença de Mons. Simão Botelho, um dos sacerdotes mais idosos da Diocese. 

No final do almoço, que foi servido no refeitório do Seminário, os presentes assistiram à actuação da Banda Filarmónica de Lalim, que se associou a esta ocasião.

Pelas 17h30, teve início a Eucaristia comemorativa do cinquentenário, presidida pelo Sr. D. Jacinto, e na qual concelebraram o actual Bispo de Vila Real, D. Amândio Tomás, o Sr. D. António José Rafael, Bispo emérito de Bragança-Miranda, e cerca de trinta sacerdotes da Diocese. Foi perante uma Capela repleta, que o Sr. D. Jacinto fez referência a algumas das pessoas mais marcantes da história do Seminário. E terminou com o desejo que naquele edifício continuem a ser formados sacerdotes santos e sábios.

Depois do jantar, Rao Kyao deu um recital que a todos deixou deslumbrados.

sábado, 17 de setembro de 2011

Seminário Maior de Lamego: Banda Filarmónica de Lalim

No final do convívio de almoço, servido no refeitório do Seminário, começou a actuação da Banda Filarmónica de Lalim.

Esta Banda, composta por cerca de 50 elementos, associa-se a este momento comemorativo do Seminário, interpretando várias peças, algumas religiosas, outras profanas.

Seminário Maior de Lamego: testemuho do Dr. Adão Sequeira

A manhã termina com o testemunho do Dr. Adão Sequeira, um dos fundadores da Associação de Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Lamego (ASEL).

Na sua intervenção, começou por recordar que, a partir de 1956, ano em que o Sr. D. João da Silva Campos Neves anunciou o projecto de construir um novo edifício para o Seminário Maior de Lamego, até então a funcionar na Casa do Poço, à frente da Sé de Lamego, este edifício passou a ser "o nosso Seminário". Recordou a generosidade de toda a Diocese, que contribuiu para a construção do edifício, mas também a generosidade e dedicação dos formadores, dos professores e de tantos homens e mulheres que se dedicaram a servir o Seminário com os seus bens e com os próprios talentos. "Neste Seminário e nestes espaços, honra maior da nossa Diocese, tudo está repleto de vida, doação, generosidade". 

No seu testemunho, lembrou "o saber dos nossos mestres", a preocupação da equipa formadora, a sua dedicação aos alunos, o espaço de oração e a mística vivida no Seminário, e terminou lembrando que "a melhor escola é aquela que educa para a gratidão".

Seminário Maior de Lamego: testemunho do P. José Augusto Marques

O P. José Augusto Marques, nascido em 1965, em Pinheiro, concelho de Castro Daire, e actual Pároco de Resende, deu o seu testemunho sobre a sua vivência no Seminário Maior de Lamego. 

Na sua intervenção, começou por recordar a sua entrada neste edifício, depois de ter vivido, durante cinco anos, no Seminário Menor da Diocese, em Resende. No seu testemunho, lembrou que encontrou no Seminário Maior de Lamego uma escola de exigência e de rigor, que moldou a sua personalidade. Recordou ainda que "o ambiente que reinava no Seminário era de uma verdadeira família", onde encontro um "espírito de comunhão e unidade na diversidade".

Lembrou, ainda, a importância que teve na vida dele a dimensão espiritual, a vivacidade das celebrações litúrgicas e o ter presenciado "o testemunho de muitos colegas que davam o mesmo valor a esse tempo a sós diante do sacrário".

Ao concluir o seu testemunho, o P. José Augusto Marques afirmou: "Se o berço do meu chamamento foi a família que Deus me deu, o ambiente de realização e de amadurecimento foi o Seminário". Por isso, neste dia em que se comemora o cinquentenário do actual edifício do Seminário, deixa um desejo: "Que a tua história continue a ser brilhante durante muitos anos, como foram estes 50!"

Comemorações do Seminário Maior de Lamego: testemunho do Sr. D. Jacinto Botelho

No Seminário Maior de Lamego, depois da abertura do dia de comemorações, tomou a palavra o Sr. D. Jacinto Botelho, Bispo da Diocese. 

Além de dar as boas vindas aos presentes, entre os quais se encontram o Bispo Emérito de Bragança-Miranda, D. António José Rafael, e o actual Administrador Apostólico daquela Diocese, D. António Montes Moreira, o Sr. D. Jacinto deu o seu testemunho, recordando o início dos esforços de D. João da Silva Campos Neves para a construção do actual edifício do Seminário.

Recorrendo a vários episódios dos inícios do Seminário, o Sr. Bispo percorreu a história do edifício, lembrando pessoas, movimentos e acontecimentos, e recordando as grandes graças concedeu à Diocese ao longo destes cinquenta anos. Foram lembrados sacerdotes e leigos que, ao longo destes anos, passaram por esta casa e depois desempenharam (e alguns ainda desempenham) relevantes papéis, seja na comunidade eclesial, seja na sociedade civil.

Comemorações do cinquentenário do Seminário Maior de Lamego

Neste dia 17 de Setembro, decorrem, no Seminário Maior de Lamego, as comemorações do cinquentenário da construção do actual edifício onde alguns jovens da Diocese se preparam para o Sacerdócio.

A manhã teve início com uma breve palavra de boas vindas, da parte do actual Reitor do Seminário, P. Doutor Paulo Alves. Na sua intervenção, o P. Paulo anunciou que, mais tarde, seria apresentado um possível projecto de adaptação do edifício, de maneira a que possa responder às necessidades actuais da Diocese.

Marcam presença um conjunto muito variado de personalidades: Bispos de outras Dioceses, Reitores de outros Seminários, vários sacerdotes da Diocese, Presidentes da Câmara, autoridades militares, religiosas, a Associação de Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Lamego, e um grupo bastante numeroso de pessoas que hoje quiseram associar-se a este momento.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Retiro anual do Clero de Lamego

Realizou-se, entre os dias 11 e 14 de Setembro de 2011, o retiro anual do clero da Diocese de Lamego.

Em 1961, ano em que foi inaugurado pelo então Bispo de Lamego, D. João da Silva Campos Neves, o actual edifício do Seminário Maior de Lamego, a primeira actividade que se realizou naquele edifício foi o retiro do clero da Diocese. As comemorações do cinquentenário daquele edifício começaram, também, com o retiro que decorreu, nestes dias, naquela casa.

Orientado pelo Sr. D. António Francisco dos Santos, actual Bispo de Aveiro, mas que, alguns anos antes, tinha sido Vice-Reitor do Seminário Maior, o retiro, no qual participaram cerca de 40 sacerdotes, acompanhados pelo Sr. D. Jacinto Botelho, Bispo da Diocese, foi uma oportunidade para voltar aos inícios da vocação e com a memória, agradecida, ao período de formação sacerdotal. No retiro tomaram ainda parte os seminaristas do Seminário Maior de Lamego.

Com a sua humildade, mas com reconhecida sabedoria, o Sr. D. António foi orientando os participantes a reconhecerem a importância do Seminário e da vida espiritual no exercício do ministério sacerdotal.

Na Eucaristia do último dia, foram especialmente lembrados os sacerdotes que, este ano, já entraram na eternidade, juntamente com familiares de sacerdotes que Deus também já chamou à Sua presença. Foram ainda recordados os sacerdotes e familiares de sacerdotes que estão doentes.

Ao Sr. D. António Francisco todos agradeceram a riqueza das suas exposições e a amizade e o carinho que demonstrou para com a sua Diocese natal e com todos os participantes do retiro que dele saíram mais enriquecidos.

Ao Seminário Maior de Lamego, que quis abrir as suas portas para que nele se realizasse este retiro e, desta maneira, dar início às celebrações do seu cinquentenário, todos os participantes estão gratos pelo modo tão caloroso como foram recebidos.

domingo, 11 de setembro de 2011

Cón. Doutor Joaquim Assunção Ferreira eleito Presidente da Associação Portuguesa de Canonistas

O Cón. Doutor Joaquim Assunção Ferreira, Vigário Judicial da Diocese de Lamego e Vigário Judicial Adjunto do Tribunal Interdiocesano Vilarealense foi eleito Presidente da Associação Portuguesa de Canonistas no passado dia 09 de Setembro. A eleição teve lugar na Assembleia Geral daquela Associação, que se realizou em Fátima.

A Associação Portuguesa de Canonistas é uma associação privada de fiéis, criada em 1990 e cujos Estatutos foram reconhecidos pela Conferência Episcopal Portuguesa. Dela fazem parte, actualmente, cerca de 180 associados e a principal finalidade desta Associação é cultivar e promover o estudo e a aplicação do Direito Canónico.

Nascido em 1951, na cidade de Lamego, o Sr. Cón. Doutor Joaquim Assunção Ferreira aliou uma longa carreira no ensino com os estudos em Direito Canónico, com a licenciatura e o doutoramento obtidos na Pontifícia Universidade de Salamanca. Exerce a função de Vigário Judicial Adjunto e de Juiz no Tribunal Interdiocesano Vilarealense, competente para tratar todas as causas canónicas das Dioceses de Lamego, Vila Real e Bragança-Miranda.

Nas breves palavras que proferiu a seguir à sua eleição como Presidente daquela Associação, destacou a importância do conhecimento e da aplicação do Direito Canónico na vida actual da Igreja e assumiu a tarefa de continuar a procurar que a Associação continue a ser uma referência, neste âmbito, em Portugal.

sábado, 10 de setembro de 2011

Comunicado do Gabinete de Imprensa da Diocese de Lamego

Por ocasião do VIII Encontro Nacional sobre causas matrimoniais, promovido pela Associação Portuguesa de Canonistas, o Presidente desta Associação, Cón. Joaquim Assunção Ferreira, Vigário Judicial da Diocese de Lamego, concedeu uma entrevista aos meios de comunicação social.

Na sequência desta entrevista, apontamos as seguintes ideias fundamentais:

1. A tradição que a Igreja também hoje assume e mantém relaciona o casamento com a diferença e complementaridade entre homem e mulher unidos numa relação fecunda de amor entre ambos, inaugurado com um acordo formal, mútuo e livre, prometendo-se reciprocamente uma dedicação exclusiva e definitiva.

2. O casamento não chega a formar-se se, no momento da celebração, algum dos nubentes exclui do seu compromisso algum elemento essencial do casamento: seja a unidade, seja a indissolubilidade, seja a abertura à transmissão da vida.

3. Por exemplo, o propósito de não ter filhos, o propósito de estavelmente praticar formas de convivência sexual (heterossexual ou não) fora do casamento, ou o propósito de futuramente revogar o casamento, impedem que o casamento se constitua validamente.
4. A eventual qualificação médica dos comportamentos abrangidos por esses propósitos é própria de outros ramos da ciência, ao qual depois o Direito Canónico vai buscar os dados que necessita para a sua reflexão.

Lamego, 10 de Setembro de 2011
Diocese de Lamego – Gabinete de Imprensa

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Jovens da Diocese de Lamego participam nas Jornadas Mundiais da Juventude

Sob o tema: «Enraizados e edificados n’Ele... firmes na fé» (cf. Cl 2, 7), realizaram-se, em Madrid, capital de Espanha, as XXVI Jornadas Mundiais da Juventude. A Diocese de Lamego respondeu ao convite do Santo Padre e, em conjunto com o Sr. D. Jacinto Botelho, Bispo da Diocese, e do Sr. Vigário Geral, Mons. Joaquim Dias Rebelo, marcou presença com 140 jovens, acompanhados por seis sacerdotes. 

No dia 10 de Agosto, o Sr. Bispo presidiu, na Sé de Lamego, à Eucaristia do envio. Nessa ocasião, 95 jovens da Diocese partiram em direcção a Fuentepelayo, onde foram recebidos por aquela Paróquia da Diocese de Segóvia, onde se realizaram as pré-Jornadas, de 11 a 15 de Agosto. Ao longo desses dias, os jovens, uma parte alojados nas instalações da Paróquia, outra parte alojados em famílias que os acolheram, tiveram a possibilidade de rezar e conhecer aquela Diocese.

No dia 15 de Agosto, os restantes jovens da Diocese partiram em direcção a Madrid, onde todo o grupo da Diocese de Lamego ficou alojado na Paróquia de Galapagar, a cerca de 30kms do centro da capital espanhola. Nesses dias, ficaram a dormir no Pavilhão Gimnodesportivo daquela localidade. Foram jovens das Paróquias de Almacave, Sé, Cinfães, S. Cristóvão, Tendais, Parada de Ester, Castro Daire, Monteiras, Tarouca, Rabaçal, Penude, Leomil e Tabuaço, acompanhados por vários sacerdotes: P. Bráulio Carvalho (Director do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil da Diocese), P. José Abrunhosa, P. José Alfredo Patrício, P. Miguel Peixoto, P. Tiago Cardoso e P. Manuel João Amaral.

Apesar das condições de alojamento não serem as ideais, as dificuldades foram sendo superadas com optimismo e bom humor. Notámos, desde o primeiro momento, a boa vontade dos voluntários (em Madrid, eram mais de 30 mil) que procuraram solucionar um sem fim de problemas e contrariedades.
No dia 16 de Agosto, ao final da tarde, depois de terem visitado o Mosteiro de El Escorial, os jovens participaram na Missa de início das Jornadas, que teve lugar na Plaza Cibeles, e foi presidida pelo Arcebispo de Madrid, Card. Rouco Varela, que, na homilia, deu as boas vindas às centenas de milhares de jovens que, já nesse dia, enchiam as ruas da cidade, com o seu entusiasmo e alegria.

No dia 17 de Agosto, na Paróquia de Santo Cristo das Vitórias, no centro de Madrid, o Sr. D. Antonino Dias, Bispo de Portalegre-Castelo Branco orientou a catequese em língua portuguesa, na qual participaram também os jovens de Lamego, e na qual participaram jovens do Brasil, de Angola e de Moçambique. Nesse dia à tarde, os vários grupos de jovens de Lamego aproveitaram para conhecer a cidade.

No dia 18 de Agosto, teve lugar o encontro dos jovens portugueses que participavam nas Jornadas com os Bispos portugueses. O encontro teve lugar no Madrid Arena, um pavilhão multiusos, e nele marcaram presença cerca de 12 mil jovens. Nesse encontro, também marcou presença o Sr. D. Jacinto e o Mons. Joaquim, Vigário Geral da Diocese. Foi um encontro marcado pela catequese proferida pelo Sr. Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, e pela celebração da Eucaristia. 

No dia 19 de Agosto, na parte da manhã, os jovens de Lamego participaram activamente na manhã de formação, cabendo ao Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil a orientação da oração da manhã. Seguiu-se a catequese, presidida pelo Sr. D. Jorge Ortiga, Arcebispo de Braga, no final da qual o Sr. D. Jacinto, que estava presente, também teve uma breve intervenção, muito aplaudida pelos presentes. Na tarde desse dia, e apesar do intenso calor que se fazia sentir, os jovens seguiram novamente para a Plaza Cibeles, ao encontro do Papa, que presidiu à Via Sacra.

Depois de dormirem a última noite em Galapagar, no sábado de manhã, dia 20, todo o Grupo, depois de uma manhã livre, se foi dirigindo para o Aeródromo de Cuatro Vientos, onde decorreria a Vigília e a Missa final, ambas presididas pelo Santo Padre. A caminhada não foi demasiado longa, como noutras Jornadas anteriores mas, foi com certa decepção, que, ao chegarmos ao aeródromo, o local que nos estava destinado, já estava completamente preenchido. Foi, por isso, necessário encontrarmos outro lugar, onde todo o Grupo de Lamego pudesse ficar em conjunto. Tendo encontrado um local, todos se prepararam para passar a noite. A tarde foi de um calor extremo, mas, a pouco e pouco, as nuvens foram carregando o céu. Pouco depois de ter início a vigília, que se ia acompanhando pelos ecrãs, espalhados pelo recinto, a chuva e o vento fizeram-se sentir durante largos minutos, obrigando o Santo Padre a interromper a vigília. O som e alguns dos ecrãs deixaram de funcionar e isso impediu o Papa de ler o texto que tinha preparado. Durante esse período, os jovens continuaram em oração, ora rezando o terço, ora fazendo a vigília, seguindo o esquema que estava disponível nos livros que foram distribuídos aos peregrinos. Quando o temporal amainou, todos perceberam que o Papa não se tinha ido embora e teve início a adoração eucarística, com a exposição solene do Santíssimo Sacramento. Foi então que um grande silêncio imperou, durante vários minutos, e aquela multidão de jovens se ajoelhou e, seguindo o exemplo do Santo Padre, adorou a Santíssima Eucaristia. Foi um silêncio impressionante, num ambiente que convidava a tudo menos a rezar e que, no entanto, foi um ambiente de oração. Assim que foi dada a bênção com o Santíssimo, aqueles jovens, que já superavam um milhão, deram azo à sua alegria, chamando pelo nome do Papa, em agradecimento pelo facto de o Santo Padre se ter mantido com eles ao longo daqueles momentos difíceis.

No dia seguinte, amanheceu um dia radioso. Os sacerdotes deslocaram-se para a zona que lhes estava destinada, para poderem concelebrar a Eucaristia. Só com o amanhecer foram visíveis os estragos provocados pela trovoada, que tornou inseguras as Capelas onde estavam os vasos com hóstias que seriam consagradas para a distribuição da comunhão aos jovens. Não sendo possível aceder a esses vasos, também não foi possível distribuir a comunhão, pelo que só os Bispos e sacerdotes tiveram a possibilidade de comungar. Os jovens foram convidados a fazer uma comunhão espiritual e a oferecer esse sacrifício pela pessoa e intenções do Santo Padre.

No final, ficou a imensa alegria de poder estar presente, de sentir a proximidade do Papa que quer bem aos jovens e de ouvir da boca dele conselhos tão oportunos. O regresso a Lamego fez-se sem dificuldade.
Todos estão agradecidos ao Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil da Diocese de Lamego pelo árduo trabalho que tiveram na preparação e ao longo de todas as Jornadas, bem como a todos os Párocos que se esforçaram para que os jovens pudessem participar neste evento. Uma palavra de gratidão ao Sr. D. Jacinto e ao Sr. Vigário Geral pelo facto de também terem acompanhado os jovens da Diocese.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Jovens da Diocese de Lamego partem para as JMJ

No dia 10 de Agosto, o Sr. D. Jacinto Botelho, Bispo de Lamego, presidiu à cerimónia de envio dos jovens da Diocese que participarão nas Jornadas Mundiais da Juventude, em Madrid.

Na Sé de Lamego, foram vários os sacerdotes que, com o Sr. D. Jacinto concelebraram a Eucaristia do envio, que, para além dos jovens, contou ainda com a presença dos pais e amigos deles.

Na homilia, o Sr. Bispo animou os jovens a aproveitarem esta ocasião para crescerem na amizade com Jesus e no amor à Igreja, na partilha dos mesmos ideais. Em concreto, o Sr. D. Jacinto insistiu que, no momento histórico que vivemos, torna-se ainda mais necessário que os jovens construam uma "civilização do amor" que extinga a violência e o ódio.

Logo após a Eucaristia, cerca de 100 jovens da Diocese de Lamego partiu para Segóvia, para participar nas pré-Jornadas. No total, serão cerca de 140 os jovens da Diocese que, em Madrid, acolherão o Papa Bento XVI, participando nas Jornadas Mundiais da Juventude.